• Fernanda Kelly

Qual carreira profissional seguir?

Dilemas. Dilema é uma escolha que é mais que uma escolha qualquer. É uma escolha que parece definir o resto da sua vida. É uma escolha que apresenta risco para quem você é. É "a" escolha. E isso pode ser muito difícil de encarar. Porque parece que existe um caminho correto que você tem que percorrer. Mas talvez não seja exatamente assim.

Essa decisão não é uma decisão qualquer. Ela pode decidir o rumo de sua existência e ditar seus novos caminhos. É um dilema que está ou não de acordo com valores que são fundamentais na sua vida e que você pode ou não colocar em risco. Seja por coisas que você pode perder ou colocar em jogo, pessoas ou um rumo que você tenha que enfrentar e que, na verdade, você não gostaria de enfrentar. É uma escolha que pode parecer única mas na prática todos os dias de sua vivência são feitas por escolhas.

A todo tempo estamos fazendo escolhas até que chega um momento que estas não são perceptíveis.

Mas, algumas delas geram um dilema. Se eu for para o lado direito a consequência é essa e se eu for para o lado esquerdo a consequência é diferente daquela do lado direito. É como se essa escolha fundasse o sujeito que você vai ser a partir dela. E aí tentamos pensar em uma ação que nos auxilie a fazer a escolha certa e que, na realidade, não existe escolha certa. Não tem. São escolhas.


A solução desse problema seria o entendimento de que essa escolha é parte da sua vida e que ela afeta algum valor em você. Do tipo "e se eu sair desse meu emprego e ir para outro na área de dados eu teria um retorno tão bom quanto eu tenho hoje?"


A questão aqui é você conseguir desconstruir esse valor e entender que essa é só mais uma escolha e que essa escolha não vai fazer você deixar de ser você, mas talvez você vai deixar de ser aquele que você tinha imaginado ou ter aquela vida que você estava construindo, porém você ainda continua sendo você nesse fluxo que é estar existindo e fazendo escolhas.


A área da ciência de dados, por exemplo, é muito promissora. E talvez por isso você queira entrar nessa carreira ou mudar de carreira para trabalhar com dados. E essa situação nos move a vislumbrar um eu. Um eu que eu poderia ser além do que eu sou hoje. Seja um eu a um passo a frente ou a um passo atrás. O ponto é você se desconectar dessa projeção do eu atrás ou a frente e compreender o que você quer ser.


Não se prenda ao erro. Toda escolha implica uma perda, necessariamente. Sempre. E isso não é ruim, se implica uma perda implica um ganho. A única perda que é um dilema é a vida e a morte e, as outras escolhas são apenas conflitos com projeções do que queremos ser. A gente tem que conseguir abrir mão delas e, claro, isso não é fácil.


Então, desconstruir ou permanecer no mesmo?

Os meios para trilhar um caminho são vários, mas ainda assim a escolha de qual irá lhe servir melhor é sua. Se desprenda de suas projeções. Entenda que escolhas fazem parte da vida e que sua carreira pode ser alterada e renovada independente do seu estágio na vida.



Fica bem!

Fernanda Kelly R. Silva | Fundadora R-Ladies GYN

Posts recentes

Ver tudo